Masthead header

Imagine-se na situação de descobrir que vem gente miúda por aí! Você está gravida (ou grávido)! Começa a pensar se vai ser menino ou menina, como vai se chamar, se vai ter a covinha da mãe, se vai ter os olhinhos redondos do pai, se vai ser arteiro como a prima… E não demora 2 semanas, você já está pensando em como vai ser o quarto do piá! Digam pra mim se não é assim?… 😉 Todo mundo sonha em preparar um quartinho (ou um cantinho no quarto) acolhedor para o baby que está a caminho, não é?

Com certa frequência, as pessoas ficam sem saber por onde começar. Escolher os móveis, definir os tecidos, pensar nas cores? O que vem primeiro?

Pois vou dar uma opção que pode parecer inusitada: comece pelo papel de parede! Não, usar papel de parede não é inusitado, eu sei! Ele é usado há mais de 2 mil anos, desde que os chineses começaram a produzi-lo usando papel de arroz… Desde então, ele sofreu muitas mudanças tanto em termos de materiais, quanto nas possibilidades de uso.

O que ocorre é que as opções de padronagem dos papéis de parede têm ficado tããão lindas, que eles podem passar a ser não apenas um complemento à decoração, mas sim o ponto de partida dela!

Papel de Parede dos Anos 70 tem opções que eu tenho certeza absoluta que vão arrebatar seu coração! Absoluta!

Vou logo mostrando os meus preferidos!

Com um papel de parede como estes, é possível priorizar móveis mais básicos e somar pontos de cor complementares às da estampa em objetos decorativos ou utilitários. O resultado é incrível! E essa carinha de desenho vintage é tudo de lindo, né? Parece que a gente volta pra nossa infância!

As opções de uso são várias. Você pode instalar o papel no quarto inteiro, mas, a depender da estampa, apenas uma parede pode ser a melhor escolha! Outras possibilidades: instalar o papel no fundo de nichos; instalar apenas até uma certa altura da parede; no fundo de um armário sem portas; nas portas de um armário!…

No entanto, se você prefere lançar mão de uma base mais neutra, pode escolher entre várias outras opções. Olhem essas:

Olha, vou dizer que é mole, mole de a gente se perder entre tantas padronagens lindas lá no site. Além das opções para quartos de crianças, há outras próprias para cozinha, sala, algumas que imitam madeira, outras com texturas diferenciadas e, logicamente, uma seção especial I Love the 70s!… vale a pena dar uma boa passeada por lá!

A Papel de Parede dos Anos 70 tem sede na Alemanha, mas envia pro mundo todo! É importante alertar, apenas, que pode haver incidência de tarifas alfandegárias na chegada ao país. Mesmo assim, alguns dos papéis ficam com preços muito parecidos aos encontrados aqui no Brasil que fujam do lugar comum…

Olhem que legal! Eu perguntei aqui pros meninos qual cada um deles escolheria pra parede do seu quarto. Os escolhidos foram…

O do Pedro:

O do Caetano:

Só que agora eu arrumei uma encrenca, né? Os dois dividem o mesmo quarto! Como faz? Rs

 

Publieditorial

 

PINE ISTO! COMPARTILHE NO FACEBOOK INSCREVA-SE (RSS) 77,69,32,77,65,78,68,69,32,85,77,32,69,45,77,65,73,76LIAM-E MU EDNAM EM

Esse final de semana foi de frio e chuva aqui em Floripa! Isso podia ser péssimo, mas acabou abrindo espaço para 2 dias super família e com direito a um projetinho DIY suuuper bacana! Esse post vem tipo 2 em 1 – vocês vão conhecer a cama embutida que temos para receber visitas e ainda vão ver como a gente deu aquela estilizada massa nela!

Bora lá?

cama embutida

A família do maridão não é daqui. Por isso, quando mobiliamos a casa, já sabíamos que seriam necessárias camas extras pra receber todo mundo! Chegamos a cogitar um sofá cama, mas como na maior parte do ano ele não seria usado como cama, achamos melhor algo mais compacto ainda, para que o cômodo tivesse mais espaço livre no dia a dia. O ateliê era o lugar perfeito pra isso. Em breve eu mostro por quê.

Optamos por uma cama embutida. Há, no mercado, algumas boas opções de sistemas para camas embutidas, com pistões e amortecedores e tals. Mas sacumé, final de obra, bolso apertadiiiinho… a gente tava fazendo limonada do bagaço. Demos uma pesquisada por aí e não achamos nada muito claro sobre como fazer um sistema simples, mais roots, pra coisa funcionar. Então bolamos esse, que foi feito pelo marceneiro e pelo serralheiro. Como tem pouca coisa na internet sobre o assunto, espero ajudar quem esteja em busca de uma solução parecida. Os detalhes funcionais eu mostro já, já.

Mas antes, dêem uma olhada no ateliê com a cama fechada:

ateliê lá de casa

ateliê lá de casa

Uuuu… quem é como eu, vai pensar: “Nooossa, que armariozão pra guardar os trem tudo”… Né não, gente… tudo enganação! Armários de verdade, só os de cima e as gavetinhas de baixo. O resto é disfarce pra cama!

Sim, a bancada de costura é móvel. Eu posso rodá-la se precisar de mais espaço.

Aí acontece que, quando eu baixava a cama embutida, me vinha aquele amarelããão de arder ozóio! Eu achei que ele ficou meio exagerado. Pensei em fazer um padrão chevron branco, pra dar uma amenizada, mas acho que já tô meio que cansando do chevron… Aí pensei em fazer um sol branco… aí veio a festa junina e os alunos da escola dos meninos fizeram um baita painel com casinhas e personagens todos no estilo de xilogravura! Demorou uns dias, mas as fichas se juntaram e eu achei esse um cenário perfeito pra compôr a nossa recepção às visitas!

Vovó Mirtes, vovô Galileu, fechem os olhos aí que é surpresa!

Fiz um desenho marromeno pra guiar os cortes do adesivo.

Um parênteses: queridos nordestinos do meu coração. Eu tô aqui invadindo uma arte regional que eu sei que é preciosíssima e que eu sempre admirei demais! Apesar disso, não domino a história da literatura de cordel e da xilogravura. Por isso, me perdoem se eu cometer gafe de algum tipo que deixe alguém desconfortável. Pode me cutucar aqui se eu estiver invadindo demais o espaço alheio, viu? Amocês!

xilogravura

E então eu descobri o maravilhoso mundo do adesivo vinílico! Gente, o trem acho que vicia, viu? É uma delícia de trabalhar. Desenhei no adesivo usando giz branco e recortei. Pequenos detalhes, como os vazados dos pássaros, eu cortei com estilete.

As fotos abaixo mostram algumas etapas do processo.

xilogravura

xilogravuraÉ. Os guris passaram o dia me ajudando um pouquinho, me atrapalhando outro pouquinho… e me divertindo demais!

Quem tem moleques em casa, me diga uma coisa: vocês se identificam com essas cenas?

cama embutida

Brincam de lutinha O TEMPO TODO! Até o primeiro bater a cabeça em algum lugar. Aí a coisa esfria… por 10 minutos! E o Rafa? Participando ativamente! Aluno aplicadíssimo!!! Tô frita!

(Acabo de me lembrar que eu adorava brincar de lutinha com o meu irmão e com o meu pai… kkkk… tá no sangue!)

Mais uma fotinho… só porque esse gurizinho é lindimais! Né não?

Rafael

Bom, nas andanças em busca de referências, eu acabei me deparando com o trabalho do Perron, do @estiloxilo, onde vi várias rimas lindas dimorrê e do Ailton, do @umrepentepordia. Achei uma frase perfeita pra uma cabeceira de cama! Queridos, espero que vocês gostem.

Eu simplesmente desenhei as letras no adesivo com o giz e fui recortando em volta, sem muita métrica mesmo… Deu um certo trabalhinho porque eram muitas letras…

xilogravura

E o resultado da arte foi esse aqui:

Xilogravura

As prateleiras são fixas. Sei lá por quê cargas d’água eu achei que precisaria de tantas prateleiras. Duas já seriam suficientes pra apoiar o colchão, mas na época eu achei que teria muitos livros pra deixar pras visitas lerem, sei lá…

Agora sim, na versão pronta pras visitas!

cama embutida

cama embutida

cama embutida

cama embutida

Agora na versão: Ahá, uhú, a cama é nossa! Com bibelôs (quem precisa de livros?)!

cama embutida

cama embutida

Agora que eu já mostrei a parte que tá nos enchendo de orgulho, vou mostrar os detalhes “operacionais” da cama.

O pé! Pra cada quina, encomendamos pro serralheiro um L de metal, com esse que gira sobre um eixo fixo, para ficar recolhido na hora de guardar a cama.  Pela foto dá pra entender melhor…

cama embutida

E como fecha? Muuuito simples!

Com um (apenas um, porque é só para estabilizá-la, não fica sob pressão) parafuso, que fica econdido em uma das portas do armário superior. A última foto mostra as dobradiças que fixam a base da cama. São 5 e são bem fortes.

cama embutida

Uma obseração: A cama é pesada para baixar e levantar. Isso porque, sendo de casal, precisou de um compensado grosso, para que não envergasse com o peso das pessoas. Como ela não é usada no dia a dia, isso não atrapalha. E eu consigo levantá-la e abaixá-la sozinha. Mas eu sou meio fortinha… hihihi…

Gente linda, espero que vocês tenham gostado! Eu amei, porque agora toda vez que a cama é aberta, eu fico lembrando dos livretinhos de cordel, pendurados lá no Mercado Público de Aracaju! Eita tempo bom aquele!!

Um xêro em vocês!!!

PINE ISTO! COMPARTILHE NO FACEBOOK INSCREVA-SE (RSS) 77,69,32,77,65,78,68,69,32,85,77,32,69,45,77,65,73,76LIAM-E MU EDNAM EM
  • Lília - 23/06/2016 - 16:18

    Oi Fran,

    Demais essas suas artes!! Tô adorando.

    Tô precisando de umas ideias de festa junina, tem alguma aí?

    Bjs nessas crias lindas.ReplyCancel

  • Henrique - 20/06/2016 - 16:27

    Fran isso me lembrou a casa da vó norma!!!ReplyCancel

    • Francine Bagnati - 21/06/2016 - 22:02

      Kkkkkk… exatamente! Tá vendo como ela era avançadinha?
      Ou eu tô muito velha?
      Bjão!!!ReplyCancel

  • bella Lanzillo - 20/06/2016 - 14:54

    Aff, como adoro tudo q vcs fazem! A cara de danado do Rafa está a coisa mais safada desse mundo!Saúde pro cês!ReplyCancel

    • Francine Bagnati - 21/06/2016 - 22:01

      Ô, minha nossa… Bella, brigadão!!! Tens toda razão! hihihi… é um molequinho safado! E muito amado! 😉
      Muuuita coisa boa por aí também, viu?
      Beijão!!!ReplyCancel

  • Léia Cook - 20/06/2016 - 13:27

    Ficou M A R A V I L H O S A! Amei cada detalhe, de ver os meninos se divertindo e de ler esse texto delicioso!
    Um dica: entre nas comunidades do Google+ e publica o link dos teus posts lá…tenho feito isso e o retorno é muito bom. Vale a pena!

    bjsss e que este local traga muitos momentos felizes para vcs.ReplyCancel

    • Francine Bagnati - 21/06/2016 - 22:00

      Ô, Léia, brigadão com todo o meu coração!!!
      Mulhé, tô muito precisando dessas tuas dicas! Sei não como é que faz isso, mas tô interessadíssima em aprender! Bora repensar aquelas aulinhas? hihihi…
      Beijo, beijo!
      Aliás… xêro, xêro! 😉ReplyCancel