Aprender a ser criança… (ou aprender E ser criança)…

O dia das crianças acabou de passar… Curtimos muito os baixinhos da casa neste final de semana, além dos queridos amigos que ficaram hospedados aqui em casa…

Praia de Naufragados

Com certa frequência a gente ouve alguém falar: “Ah, como é bom ser criança, não ter responsabilidades, poder brincar o dia todo…” De fato, acho ótimo ser criança; e também é muito bom ser adulto. Todas as fases da vida têm coisas boas e coisas que não são tão boas, mas com as quais precisamos lidar… E quando somos crianças, temos um tanto de coisas que não são assim tão simples.

Uma criança precisa aprender a se relacionar, a se defender, a pedir ajuda, a esperar, a expressar sentimentos… Os desafios com os quais as crianças precisam lidar não são pequenos, nem pouco importantes. Não acho muito justo reduzirmos sua dimensão. E é isso que faz da maternidade/paternidade um aventura igualmente linda e desafiadora! Desejo fortemente poder ajudar os meus filhos a se conhecerem melhor e aprenderem a se relacionar com o mundo.

Como mãe, eu penso muito em como eu e o meu marido podemos ajudá-los a ser crianças e (futuramente) adultos… digamos… felizes! PRINCIPALMENTE FELIZES, mas não só isso…

Espero, de todo coração, que ao longo dos anos, eu e o Léo consigamos colocar nos corações do Pedro e do Caetano sementinhas de valores que consideramos importantes… Dá pra fazer uma lista?…

 

Que eles saibam dar mais valor às coisas boas do que às que não os faz felizes;

Que eles sejam capazes de perceber e dar valor às pessoas que estão ao seu redor. Que se preocupem com o resultado das suas ações sobre os outros. Que sejam justos;

Que eles consigam compreender o que os deixa felizes, e que respeitem seus desejos e talentos. Que os sigam. Não se obriguem a traçar caminhos que não desejarem.

Que eles reconheçam a felicidade em coisas simples;

Que eles saibam que importante não é o que eles vestem ou os bens que eles têm, mas sim o seu caráter;

Que eles respeitem suas namoradas e esposas. Que cuidem delas. (ou que sejam namorados, se assim quiserem…);

(Em tempos de eleição, vale lembrar…) que eles saibam da importância de analisar e atuar criticamente na sociedade em que vivem, mas que façam isso de maneira responsável e respeitosa;

Que respeitem as diferenças;

Que eles se sintam seguros para dar passos grandes quando for o momento. Mudanças exigem coragem;

Que eles percebam que seus erros também ensinam coisas importantes;

Que eles consigam rir deles mesmos;

Que eles saibam que essa mãezinha aqui vai gostar muito de receber um bom colinho quando ficar velhinha (hehehe).

Sei que essa lista é bem ambiciosa e que são desejos meus (sei, inclusive, que eu mesma preciso desenvolver melhor alguns desses valores…). No final das contas, meus filhos farão as próprias escolhas com relação às suas vidas e às suas atitudes. Resta fazer o que eu tenho a sensação de que pode contribuir positivamente para isso – estar perto, conversar, ouvir, dar o exemplo…

 

Bom, nesse dia das crianças, esse aí de baixo foi o nosso parque de diversões! Fico muito feliz em ver o Pedro curtindo um passeio pelo mato tanto quanto eu! Prevejo muitas e muitas aventuras com esse moleque… O Caetano parece estar começando agora a curtir esses passeios também…

Pois vejam aí um tiquinho de como foi o nossa caminhada até a praia de Naufragados!

Praia de Naufragados

Praia de Naufragados

Praia de Naufragados Praia de NaufragadosPraia de NaufragadosPraia de NaufragadosPraia de Naufragados

Praia de Naufragados

Praia de Naufragados

Praia de Naufragados

No caminho de volta ele curtiu bem foi uma “cacunda” de mãe e pai…

Praia de Naufragados

Essas carinhas de cansados são sinal de que a diversão foi grande… Um caldo de cana para quem gosta! Recarregando as energias…

Você também poderá gostar de:

Add a comment...

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

POSTS RECENTES

FAVORITOS DE TODOS OS TEMPOS