Cama embutida e no estilo

Esse final de semana foi de frio e chuva aqui em Floripa! Isso podia ser péssimo, mas acabou abrindo espaço para 2 dias super família e com direito a um projetinho DIY suuuper bacana! Esse post vem tipo 2 em 1 – vocês vão conhecer a cama embutida que temos para receber visitas e ainda vão ver como a gente deu aquela estilizada massa nela!

Bora lá?

cama embutida

A família do maridão não é daqui. Por isso, quando mobiliamos a casa, já sabíamos que seriam necessárias camas extras pra receber todo mundo! Chegamos a cogitar um sofá cama, mas como na maior parte do ano ele não seria usado como cama, achamos melhor algo mais compacto ainda, para que o cômodo tivesse mais espaço livre no dia a dia. O ateliê era o lugar perfeito pra isso. Em breve eu mostro por quê.

Optamos por uma cama embutida. Há, no mercado, algumas boas opções de sistemas para camas embutidas, com pistões e amortecedores e tals. Mas sacumé, final de obra, bolso apertadiiiinho… a gente tava fazendo limonada do bagaço. Demos uma pesquisada por aí e não achamos nada muito claro sobre como fazer um sistema simples, mais roots, pra coisa funcionar. Então bolamos esse, que foi feito pelo marceneiro e pelo serralheiro. Como tem pouca coisa na internet sobre o assunto, espero ajudar quem esteja em busca de uma solução parecida. Os detalhes funcionais eu mostro já, já.

Mas antes, dêem uma olhada no ateliê com a cama fechada:

ateliê lá de casa

ateliê lá de casa

Uuuu… quem é como eu, vai pensar: “Nooossa, que armariozão pra guardar os trem tudo”… Né não, gente… tudo enganação! Armários de verdade, só os de cima e as gavetinhas de baixo. O resto é disfarce pra cama!

Sim, a bancada de costura é móvel. Eu posso rodá-la se precisar de mais espaço.

Aí acontece que, quando eu baixava a cama embutida, me vinha aquele amarelããão de arder ozóio! Eu achei que ele ficou meio exagerado. Pensei em fazer um padrão chevron branco, pra dar uma amenizada, mas acho que já tô meio que cansando do chevron… Aí pensei em fazer um sol branco… aí veio a festa junina e os alunos da escola dos meninos fizeram um baita painel com casinhas e personagens todos no estilo de xilogravura! Demorou uns dias, mas as fichas se juntaram e eu achei esse um cenário perfeito pra compôr a nossa recepção às visitas!

Vovó Mirtes, vovô Galileu, fechem os olhos aí que é surpresa!

Fiz um desenho marromeno pra guiar os cortes do adesivo.

Um parênteses: queridos nordestinos do meu coração. Eu tô aqui invadindo uma arte regional que eu sei que é preciosíssima e que eu sempre admirei demais! Apesar disso, não domino a história da literatura de cordel e da xilogravura. Por isso, me perdoem se eu cometer gafe de algum tipo que deixe alguém desconfortável. Pode me cutucar aqui se eu estiver invadindo demais o espaço alheio, viu? Amocês!

xilogravura

E então eu descobri o maravilhoso mundo do adesivo vinílico! Gente, o trem acho que vicia, viu? É uma delícia de trabalhar. Desenhei no adesivo usando giz branco e recortei. Pequenos detalhes, como os vazados dos pássaros, eu cortei com estilete.

As fotos abaixo mostram algumas etapas do processo.

xilogravura

xilogravuraÉ. Os guris passaram o dia me ajudando um pouquinho, me atrapalhando outro pouquinho… e me divertindo demais!

Quem tem moleques em casa, me diga uma coisa: vocês se identificam com essas cenas?

cama embutida

Brincam de lutinha O TEMPO TODO! Até o primeiro bater a cabeça em algum lugar. Aí a coisa esfria… por 10 minutos! E o Rafa? Participando ativamente! Aluno aplicadíssimo!!! Tô frita!

(Acabo de me lembrar que eu adorava brincar de lutinha com o meu irmão e com o meu pai… kkkk… tá no sangue!)

Mais uma fotinho… só porque esse gurizinho é lindimais! Né não?

Rafael

Bom, nas andanças em busca de referências, eu acabei me deparando com o trabalho do Perron, do @estiloxilo, onde vi várias rimas lindas dimorrê e do Ailton, do @umrepentepordia. Achei uma frase perfeita pra uma cabeceira de cama! Queridos, espero que vocês gostem.

Eu simplesmente desenhei as letras no adesivo com o giz e fui recortando em volta, sem muita métrica mesmo… Deu um certo trabalhinho porque eram muitas letras…

xilogravura

E o resultado da arte foi esse aqui:

Xilogravura

As prateleiras são fixas. Sei lá por quê cargas d’água eu achei que precisaria de tantas prateleiras. Duas já seriam suficientes pra apoiar o colchão, mas na época eu achei que teria muitos livros pra deixar pras visitas lerem, sei lá…

Agora sim, na versão pronta pras visitas!

cama embutida

cama embutida

cama embutida

cama embutida

Agora na versão: Ahá, uhú, a cama é nossa! Com bibelôs (quem precisa de livros?)!

cama embutida

cama embutida

Agora que eu já mostrei a parte que tá nos enchendo de orgulho, vou mostrar os detalhes “operacionais” da cama.

O pé! Pra cada quina, encomendamos pro serralheiro um L de metal, com esse que gira sobre um eixo fixo, para ficar recolhido na hora de guardar a cama.  Pela foto dá pra entender melhor…

cama embutida

E como fecha? Muuuito simples!

Com um (apenas um, porque é só para estabilizá-la, não fica sob pressão) parafuso, que fica econdido em uma das portas do armário superior. A última foto mostra as dobradiças que fixam a base da cama. São 5 e são bem fortes.

cama embutida

Uma obseração: A cama é pesada para baixar e levantar. Isso porque, sendo de casal, precisou de um compensado grosso, para que não envergasse com o peso das pessoas. Como ela não é usada no dia a dia, isso não atrapalha. E eu consigo levantá-la e abaixá-la sozinha. Mas eu sou meio fortinha… hihihi…

Gente linda, espero que vocês tenham gostado! Eu amei, porque agora toda vez que a cama é aberta, eu fico lembrando dos livretinhos de cordel, pendurados lá no Mercado Público de Aracaju! Eita tempo bom aquele!!

Um xêro em vocês!!!

Add a comment...

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

POSTS RECENTES

FAVORITOS DE TODOS OS TEMPOS